A INFÂNCIA FORA DO SISTEMA: OS DIREITOS HUMANOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES REFUGIADOS, SUA VULNERABILIDADE ANTE O TRÁFICO INTERNACIONAL DE PESSOAS E A RESPONSABILIDADE DOS ESTADOS

Marli Marlene Moraes da Costa, Nicole Garske Weber

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar o cruzamento da temática do refúgio com aspectos de vulnerabilidade vividos por crianças e adolescentes ante o tráfico internacional de seres humanos e as demais problemáticas ensejadas no instituto da migração. A ideia de que este grupo específico de crianças e adolescentes dependentes: atravessam países e fronteiras, convivem com o perigo constantemente, são separados de suas famílias, sofrem discriminação nos países de reassentamento, desaparecem em grande escala sem deixar rastros, tudo isso choca a qualquer cidadão de bem e atualmente é um trending topic[1] das relações internacionais. Discute-se também neste artigo os desafios que Estados e organizações internacionais humanitárias devem enfrentar para terem êxito na detenção de aliciadores e organizações multimilionárias de exploração, tratarem em conjunto da compensação e reposição de direitos civis básicos e urgentes para estas crianças e adolescentes, bem como criar políticas públicas de prevenção ao tráfico de pessoas e recuperação psicológica e de cidadania deste grupo específico.

[1]Tópico em Tendência. Referência aos assuntos mais comentados em todo o mundo.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.