DIREITOS HUMANOS, VIOLÊNCIA E UNIVERSIDADE– Ações Não-Colonialistas

ENIO WALDIR DA SILVA

Resumo


As ações descolonizadoras da subalternidade criaram experiências específicas já registradas em pesquisa fundamentadas nas ciências sociais (Sociologia Jurídica, Sociologia da Violência e outras). No entanto, sabemos que os elos hegemônicos não são quebrados com experimentalismos isolados. Carecemos de posturas epistemológicas que criem inteligibilidades explicativas da exclusão e desumanização. A regulamentação dos Cursos de Pós-Graduação em Direitos exige que as instituições façam inserções sociais em seu entorno de forma a cumprir suas funções de responsabilidade social. Nas propostas dos programas são relatadas e avaliadas estas ações e muitas iniciativas foram criadas para cumprir determinações que são, inclusive, valorizados nas avaliações dos cursos feitas pela CAPES. Vamos discutir aqui as bases fundamentais desta relação da universidade com a sociedade pelo viés das ações dos direitos humanos empreendidos pelas instituições. É fruto de uma pesquisa que busca estas experiências para analisá-las sob o foco da Sociologia Jurídica e da Sociologia da Violência para compreender que dimensões estas concepções e práticas possuem diante da tradicional forma de atuação colonizante das universidades. No final construiremos argumentações em favor de uma proposta que garanta que estas exigências de qualificação das universidades pela interação social sejam emancipatórias junto aos setores onde ela atua.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.