MULHERES ‘LIVRES’ X MULHERES ‘UNIVERSAIS’: OS DISCURSOS POLÍTICO-TEOLÓGICOS DE RESSIGNIFICAÇÃO DO PAPEL FEMININO COMO PRESSUPOSTOS DA (NÃO) EMANCIPAÇÃO DA MULHER NO BRASIL

Nicole Garske Weber, Gabriela Marques

Resumo


O crescimento da Bancada Religiosa/Evangélica no Congresso Nacional e a ascensão de uma política de extrema direita têm preocupado grupos específicos e historicamente prejudicados pelas correntes ortodoxas cristãs e políticas, como por exemplo, as mulheres. O presente trabalho revela a força das igrejas neopentecostais e do discurso sobre o papel feminino ideal, pregado por estas. Para construção e embasamento do estudo, inicialmente são evidenciados os direitos conquistados pelo movimento feminista através da história. Na sequência, discorre a respeito da conexão entre religião e política no Brasil, demonstrando de que forma o papel feminino é idealizado e difundido pela utopia neo-cristã. Por fim, verifica se o discurso teológico-político neo-cristão, já presente, significa um avanço ou retrocesso, para a efetivação da autonomia, liberdade e dignidade da mulher moderna no Brasil, bem como se fomenta ou não demais violências ou passividade ante estas. Para tal construção, utiliza-se o método hipotético dedutivo como metodologia de abordagem. No que concerne às técnicas, o aprofundamento do estudo será realizado com base em pesquisa bibliográfica, baseada em dados secundários como livros, artigos científicos, publicações avulsas, revistas e periódicos qualificados dentro da temática proposta. A ‘mulher virtuosa de Deus’, de fato, é uma mulher livre?

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.