A CIDADANIA FEMININA: FATORES ESTRUTURANTES E FRAUDULENTOS QUE DIFICULTAM O ACESSO DAS MULHERES AO CENÁRIO POLÍTICO NACIONAL

Camila de Bona, Yduan de Oliveira May

Resumo


Este artigo tem como foco a prática política democrática na perspectiva de gênero no Brasil. Muito embora a participação feminina no âmbito político, especificamente nos cargos eletivos, tenha recebido substancial reforço com a política de cotas estabelecida inicialmente a partir de 1995, o processo de inclusão política das mulheres encontra obstáculos tanto do ponto de vista estrutural, em razão das relações desiguais de gênero que definiram neste aspecto a quem pertence o público e o privado, quanto em razão de mecanismos de fraudes praticados por partidos e coligações políticas, que por vezes registram de forma fictícia a candidatura de pessoas do gênero feminino apenas com a finalidade de preenchimento do percentual mínimo legal determinado pela atual Lei de cotas. A par destes dois argumentos, a discussão será dirigida para uma breve inserção sobre a construção da cidadania feminina, a política de cotas e mecanismos de fraude nas candidaturas de pessoas do gênero feminino.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.