DESENVOLVIMENTO E DIGNIDADE HUMANA: COMPLEMENTARIDADE DE DUAS DIMENSÕES DA LINGUAGEM

Giana Diesel Sebastiany, Cidônea Machado Deponti

Resumo


O artigo aborda o conceito de desenvolvimento como liberdade e suas implicações na ampliação da dignidade da vida humana, especialmente no que se refere às escolhas possíveis, a partir de dois economistas contemporâneos que, com dimensões distintas da linguagem, se complementam na interpretação do tema. Amartya Sen e Sebastião Salgado se debruçam sobre o mesmo contexto histórico, procurando apreender as muitas faces do desenvolvimento e suas repercussões na vida das pessoas. Conhecendo um pouco a trajetória de ambos, o desafio desse texto é compreender a complementaridade entre as palavras e as fotografias utilizadas pelos autores. Ao utilizarmos as imagens produzidas por Sebastião Salgado, estamos considerando-as como fontes históricas de abrangência multidisciplinar, que possibilitam novas abordagens de análise a partir de seus registros, assim como as palavras de Amartya Sen nos induzem a múltiplas reflexões. Os autores referidos retratam a saúde, a educação e a seguridade social como relações instrumentais fundamentais para a existência digna da humanidade. Entretanto, a provisão das mesmas não constitui um fim por si só; essa provisão só adquire um real sentido quando tem como meta a expansão das capacidades e das liberdades das pessoas que, assim, passam a exercer a condição de agentes de mudanças.

Palavras-chave


Desenvolvimento; Dignidade Humana; Liberdade; Amartya Sen; Sebastião Salgado

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v21i1.3220

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo