ACESSO À JUSTIÇA E A DURAÇÃO RAZOÁVEL DO PROCESSO CIVIL: ANÁLISE PELO CONTROLE DO COMPORTAMENTO DOS SUJEITOS PRINCIPAIS DO PROCESSO

Jair Pereira Coitinho

Resumo


O artigo analisa a concretização do direito fundamental à razoável duração do processo por meio do controle do comportamento dos sujeitos principais do processo. Usando metodologia de pesquisa hipotético-dedutiva e abordando o tema pelo método histórico-crítico, partiu-se da premissa segundo a qual o tempo é deletério aos objetivos de pacificação social pelo processo, comprometendo a confiança no Estado-juiz. Assim, estabeleceu-se que o Estado possui responsabilidade pela demora na prestação da tutela jurisdicional, superada, entretanto, pelo controle do comportamento dos sujeitos principais que atuam no processo. A configuração de um modelo eficaz de decidibilidade implica sobrelevar a cooperação entre partes e juiz, de forma mútua e pela plena aplicação do artigo 14 do Código de Processo Civil. Com isso, chega-se à conclusão de que o processo, para ser equo e giusto e resolvido em tempo razoável, privilegia a lealdade e a boa-fé objetiva.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.