A INCLUSÃO DA JUSTIÇA RESTAURATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR: PARA PROFESSORES, ALUNOS E PROFESSORES & ALUNOS

Sheila Marione Uhlmann Willani, Ana Paula Cacenotte

Resumo


A justiça restaurativa é o processo que permite a todas as partes envolvidas em um ato ofensivo a reunirem-se para decidir coletivamente como lidar com as consequências decorrentes e as implicações desta para o futuro[1]. Neste trabalho o foco é dado à parte educacional: escola (professores e alunos). O foco em análise se dá pela intenção de contribuir nas relações professor & professor, aluno & aluno e professor & aluno. Enseja-se, em poucas palavras, expor a necessidade observada de uma prática mais eficiente no tratamento dos conflitos entre os mesmos e também colocar a aplicabilidade dos mecanismos restaurativos como forma de participação e efetivação da cidadania entre os profissionais da educação, as crianças e os adolescentes. A prática da justiça restaurativa no âmbito escolar é realizada comunitariamente, posto que se refere a um procedimento específico de justiça, e não a uma instituição, mas sim a um valor de justiça. Desta forma,a prática depende da boa-vontade e perseverança de se fazer valer a comunicação não-violenta entre todos que dela desejarem se utilizar, podendo trazer benefícios incalculáveis as instituições de ensino e aos pertencentes a ela. Este tema se faz importante pela evidência das dificuldades que o sistema educacional tem enfrentado para lidar com os conflitos gerados no campo escolar, local este que deveria ser de ensino e aprendizado, tanto na forma intelectual como na formação moral e social. A justiça restaurativa vem para possibilitar um diálogo mais tranqüilo e objetivo com um rito de aplicação bem organizado, que trata e restaura as relações entre os envolvidos, sejam professores, alunos ou professores e alunos.


[1] PEREIRA, LenicePons. Material do curso de Justiça Restaurativa – JUSTIÇA PARA O SÉCULO 21.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.