A JUSTIÇA RESTAURATIVA COMO POLÍTICA PÚBLICA DE PACIFICAÇÃO SOCIAL: POSSIBILIDADES DE APLICABILIDADE NOS ATOS INFRACIONAIS E NOS CONFLITOS ESCOLARES

Francielli Silveira Fortes, Rosane Teresinha Carvalho Porto

Resumo


O presente trabalho abordará os aspectos da Justiça Restaurativa como uma política pública no enfrentamento dos conflitos sociais instaurados em nossa sociedade plural e complexa, especialmente dessa aproximação com atos infracionais e nas ambiências escolares. Com relação ao trabalho em âmbito local, reconhece na Justiça Restaurativa uma política pública transversal de pacificação social com enfoque no discurso, pela coesão e coerência na articulação com a rede no município para o enfrentamento dos conflitos sociais com o uso da linguagem e da comunicação. Essa linguagem se constata através da comunicação não violenta, processo de comunicação ou linguagem da compaixão, ela é mais que processo ou linguagem; ela é um lembrete permanente para mantermos nossa atenção concentrada lá onde é mais provável acharmos o que procuramos. Contudo, a abordagem dessa linguagem é favorecida através da comunicação não violenta como elemento harmonizador das falas e discursos das partes envolvidas, nas quais tentam através da composição da justiça restaurativa, uma construção mais pacífica e sincera, expondo os dois lados do conflito social vivenciado. Sem ter a pretensão de ser exaustivo, esse trabalho, tem o intuito de traçar alguns elementos que podem compor um diálogo e propiciar uma abertura dialógica acerca da temática.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.