CÍRCULOS DE PAZ: A CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS RESTAURATIVAS NO MUNICÍPIO DE SANTARÉM, ESTADO DO PARÁ, BRASIL

Nirson Medeiros da Silva Neto, Josineide Gadelha Pamplona Medeiros, Izabel Alcina Soares Evangelista

Resumo


O artigo apresenta a experiência do Grupo Interprofissional de Mediação de Conflitos Escolares – GIMCE, que tem promovido estudos e práticas em justiça restaurativa no município de Santarém, Estado do Pará, Brasil, com vistas ao aprendizado e à difusão de um modelo de processamento de conflitos diverso daquele preocupado com a estrita retribuição aos ofensores dos males por eles causados. Objetivando contribuir para a estruturação de alternativas transformadoras de conflitos, através do conhecimento, prática e socialização de mecanismos de processamento de conflitualidades fundados em princípios de comunicação não violenta, o GIMCE promove ocasiões de diálogo e de aprendizagem sobre a temática da justiça restaurativa, formando e capacitando interessados no aprendizado teórico-prático da metodologia dos círculos de construção de paz. Há cerca de um ano, o grupo vem acumulando experiências necessárias ao trabalho com o modelo restaurativo, criando as condições para uma avaliação das possibilidades de aplicação regular da justiça restaurativa no enfrentamento tanto dos conflitos que se revelam nas instituições educacionais quanto daqueles que são judicializados e envolvem direitos de crianças e adolescentes. A construção de experiências para posterior aplicação da metodologia dos círculos de forma regular em escolas públicas e no Juizado da Infância e Juventude é o objetivo último do projeto.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.