DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM DE RISCO NO PÓS OPERATÓRIO IMEDIATO EM PACIENTES SUBMETIDOS A REVASCULARIÇÃO DO MIOCÁRDIO

Sabrina Mesquita Vargas, Géssica Raquel Tatsch, José Augustinho Mendes Santos, Andréia Schubert de Carvalho, Mari Ângela Gaedke

Resumo


Introdução: As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morbidade e mortalidade da população mundial. A abordagem terapêutica das doenças cardiovasculares pode ser clínica ou cirúrgica. As cirurgias cardíacas podem ser classificadas em corretoras, reconstrutoras, destinadas à plastia das válvulas cardíacas e substitutivas ou a revascularização do miocárdio (PIVOTO, et al., 2010). A cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) é considerada uma das mais frequentes cirurgias cardíacas realizadas no Sistema Único de Saúde, e nesse contexto, a enfermagem deve utilizar um método próprio de trabalho fundamentado no método científico, o processo de enfermagem (PE). (KOERICH; LANZONI; ERDMANN, 2016; NAKASATO, et al., 2015). O PE possui 5 etapas e uma delas é a identificação dos Diagnósticos de Enfermagem (DE). Diante disto, este estudo tem como objetivo descrever os DE de risco, identificados a partir da vivência de residentes e acadêmicos de enfermagem no Pós Operatório Imediato (POi) de CRM. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo relato de experiência, a partir da vivência de residentes e acadêmicos de enfermagem na prestação de cuidados no POi a pacientes submetidos a CRM, internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Adulta de um hospital de ensino do interior do estado do Rio Grande do Sul. A vivência deu-se no período de Maio a Junho de 2019. Os cuidados e intervenções de enfermagem foram prestados e traçados a partir de DE, que foram levantados através de anamnese e exame físico do paciente. Neste estudo, optou-se por identificar os diagnósticos de risco frequentes em pacientes submetidos a CRM, utilizando a Taxonomia II da NANDA I. Resultados e discussão: Durante o período de vivência, observou-se que os pacientes submetidos a CRM, no período do POi, apresentaram inúmeros diagnósticos de riscos, dentre eles foi possível identificar 12 DE comum, a saber: Risco de glicemia instável; Risco de desequilíbrio do volume de líquidos; Risco de desequilíbrio eletrolítico; Risco de débito cardíaco diminuído; Risco de pressão arterial instável; Risco de sangramento; Risco de perfusão tissular periférica prejudicada; Risco de infecção; Risco para função cardiovascular prejudicada; Risco de desequilíbrio da temperatura corporal; Risco da integridade da pele prejudicada; Risco de aspiração. Corroborando com os achados desta vivência, em um estudo realizado por Ribeiro et al (2019) percebeu-se que são vários os DE abordados nas literatura que podem ser direcionados aos pacientes que se encontram no pós-operatório de CRM, inclusive os de risco. Conclusão: A vivência dos residentes e acadêmicos de enfermagem no cuidado ao paciente no POi de CRM, permitiu desenvolver um raciocino clinico capaz de identificar DE e prestar uma assistência voltada para a necessidade dos pacientes. Ademais, conhecer o POi de CRM, o contexto em que ocorre e utilizar raciocínio clínico, capaz de reconhecer/identificar os DE, sejam eles de risco ou não, são aspectos primordiais e essenciais para o enfermeiro, pois ao se conhecer os processos fisiopatológicos, bem como o processo cirúrgico ao qual o paciente é submetido, permite o planejamento e implementação de intervenções individualizadas e qualificadas.

Palavras-chave: Diagnósticos de Enfermagem; Cirurgia Cardíaca; Enfermagem.



Referências


PIVOTO, F. L. et al. Diagnósticos de enfermagem em pacientes no período pós-operatório de cirurgias cardíacas*. Rev. Acta Paul Enferm., v. 23, n. 5, p.665-70, 2010. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ape/v23n5/13.pdf>. Acesso em: 12 Ago. 2019.

KOERICH, C.; LANZONI, G. M. M.; ERDMANN, A. L. Fatores associados à mortalidade de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v.24:e2748, 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 Ago. 2019.

NAKASATO, G. R. et al. Diagnósticos de enfermagem no perioperatório de cirurgia cardíaca. Rev Min Enferm., v. 19, n. 4, p.980-986, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 Ago. 2019.

RIBEIRO, K. R. A. et al. Pós-Operatório de Revascularização do Miocárdio: Possíveis Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem. J. res.: fundam. care., v.11, n.3, p. 801-808, 2019. Disponível em:< DOI: 10.9789/2175-5361.2019.v11i2.801- 808>. Acesso em: 12 Ago. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.