Os caixeiros viajantes como agentes formadores de redes sociais no Rio Grande do Sul

Autores

  • Caroline von Mühlen
  • Rodrigo Luis dos Santos Instituto Superior de Educação Ivoti - ISEI

DOI:

https://doi.org/10.17058/agora.v20i1.11638

Palavras-chave:

Caixeiros viajantes, redes sociais, Rio Grande do Sul

Resumo

Este trabalho tem por objetivo apresentar alguns apontamentos acerca do projeto de pesquisa intitulado “Homens de negócios e de relações: os caixeiros viajantes como agentes formadores de redes sociais no Rio Grande do Sul (segunda metade do século XIX e primeira metade do século XX)”.Este projeto encontra-se em fase de desenvolvimento e visa empreender uma análise da formação de redes sociais, econômicas e políticas estabelecidas pelos caixeiros viajantes no Rio Grande do Sul, contemplando o recorte temporal que inicia na segunda metade do século XIX até a primeira metade do século XX, período em que essa profissão passa a sofrer um declínio. Percebemos que estes agentes sociais são analisados de forma ainda muito precária pela historiografia, sobretudo no Rio Grande do Sul. Tendo em vista que os caixeiros viajantes desempenharam um papel de considerável importância econômica e, em decorrência disso, também se ocuparam de estabelecerem vínculos diversos e formas de sociabilidade, almejamos dar maior visibilidade para estes agentes históricos e, concomitantemente, visibilizar as estratégias utilizadas por eles, a partir de uma apreciação crítica de suas trajetórias pessoais, embasados em robusto embasamento teórico e metodológico, coerente com os avanços recentes da historiografia na área das relações sociais.

Biografia do Autor

Rodrigo Luis dos Santos, Instituto Superior de Educação Ivoti - ISEI

Doutorando em História (bolsista PROSUC/CAPES) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Possui mestrado em História (bolsista FAPERGS/CAPES) (2016) e graduação em Licenciatura Plena em História (2013) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professor e coordenador dos Cursos de Graduação em Licenciatura em História e Geografia, atuando também em Cursos de Especialização do Instituto Superior de Educação Ivoti (ISEI), além de ser membro da Equipe Editorial da Revista Acadêmica Licencia&acturas. Professor da disciplina de História no Colégio Cenecista Felipe Tiago Gomes (Ensino Fundamental II) e Colégio Cenescista de Estância Velha (Ensino Fundamental II e Ensino Médio). Atuou como historiador voluntário e coordenador de estágios no Museu Histórico Visconde de São Leopoldo (2013-2016). Integrante, na qualidade de pesquisador, do grupo de pesquisa (CNPq) Núcleo de Estudos de História da Imigração (NEHI), na linha de pesquisa Espaço, Economia e Sociedade, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Universidade de Passo Fundo (UPF). É membro e atual presidente (Gestões 2016-2017 e 2018-2019) da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras (ANPHCTB) e sócio da Associação Nacional de História - Seção Rio Grande do Sul (ANPUH-RS), onde é vice-coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Estudos Étnicos e Migrações (Coordenação 2017-2018). Integrante do Fórum Setorial de Patrimônio Histórico e Cultural de Campo Bom e representante do mesmo, na qualidade de conselheiro titular, no Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural (biênio 2016-2018), onde também integra a Câmara Técnica. Associado ao Instituto Histórico de São Leopoldo (IHSL). Tem interesse e atua nos seguintes temas: imigração e sua contextualização social e política; Brasil e Rio Grande do Sul imperial e republicano (Primeira República e Período Vargas); Estado Novo, nacionalismo e ações de nacionalização; patrimônio, museus e acervos documentais e históricos; ensino de História e uso de fontes audiovisuais e impressas em sala de aula.

Downloads

Publicado

2018-01-06

Edição

Seção

Dossiê: Estudos Étnicos e Migrações: perspectivas históricas e atuais