Avaliação da regeneração/rebrota em uma clareira que sofrera exploração ilegal de madeira nativa no município de Segredo, Rio Grande do Sul

Gustavo Martins Uberti, Tiago Felipe Schulte, Jorge Antonio de Farias, Carline Andrea Welter, Rafael da Silva Rech

Resumo


A regeneração natural, seja por via assexuada (rebrota) ou sexuada, após perturbações naturais ou antrópicas, é elemento importantíssimo para a manutenção de guildas ecológicas e restauração da riqueza de espécies arbóreo-arbustivas. Para a análise da composição florística e das guildas ecológicas, de uma clareira de três anos de idade, pertencente a formação vegetal da Floresta Ombrófila Mista, que sofrera exploração ilegal através de corte raso e destocamento, foram amostradas 25 parcelas de 2 x 2 m, totalizando 100 m². Foram encontrados 203 indivíduos pertencentes a 44 espécies arbóreo-arbustivas distribuídas em 19 famílias botânicas. A família Asteraceae apresentou a maior riqueza de espécies (10 spp.), seguida da família Fabaceae (5 spp.). Do total de indivíduos, no que se refere a estratégia de regeneração, 46,8% possuem classificação intermediária, 41,1% pioneiras, 2% não-pioneiras e 9,9% dos indivíduos enquadram-se em espécies com classificação indeterminada. Quanto à síndrome de dispersão, 52,2% dos indivíduos dispersam seus propágulos por zoocoria, 31,5% por anemocoria, 2,5% por autocoria e 28 indivíduos (13,8%) foram de espécies com classificação indeterminada. Sendo assim, naturalmente, através da rebrota e da regeneração, o ambiente já se encontra em estágio de recuperação, apresentando espécies com estratégias de regeneração variadas. A riqueza de espécies está contribuindo para a formação de diferentes guildas ecológicas, de tal forma que é possível afirmar que o ambiente em questão apresenta satisfatória resiliência para com sua recuperação, podendo este processo ser potencializado através de um manejo planejado.

Texto completo:

PDF PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cp.v30i3.11781

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo