Desfluoretação de águas subterrâneas por adsorção e precipitação por contato em carvão ativado de osso

Adilson Ben da Costa, Gisele Steil Rodrigues, Luiza Baumann, Ronaldo Bastos dos Santos, Rodrigo Augusto Klamt, Fernando Sansone de Carvalho, Alcido Kirst, Eduardo Alexis Lobo

Resumo


A ingestão de flúor em excesso via água potável destaca-se como problema de saúde pública. O flúor em concentrações adequadas (6-9 mg L-1) atua na prevenção da cárie dental, entretanto, em quantidades acima do estabelecido pela portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde (1,5 mg L-1), causa fluorose dental. Assim, o principal objetivo deste trabalho foi o desenvolvimento de um protótipo para desfluoretação de águas subterrâneas, utilizando carvão ativado de osso como meio adsorvente. Após saturação, foram adicionados sais de cálcio e fósforo para auxiliar na desfluoretação. O sistema foi construído utilizando um tanque de adsorção preenchido com 235 kg de carvão ativado de osso, tendo uma concentração de fluoretos entre 2,1 e 3,7 mg L-1. O sistema foi operado com vazão entre 600 a 1.000 L h-1 tratando 410.535 litros de água, destacando que o nível de fluoretos na água foi ≤ 1,5 mg L-1. As vazões das soluções de cloreto de cálcio (4 g L-1) e dihidrogeno fosfato de potássio (4 g L-1) foram aproximadamente de 1,3 e 2,0 L h-1, respectivamente. Os resultados demonstraram que a técnica de precipitação por contato destaca-se como uma alternativa viável para o desenvolvimento de sistemas de desfluoretação de água para consumo humano.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cp.v30i1.12197

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo