Desfluoretação de águas subterrâneas por adsorção e precipitação por contato em carvão ativado de osso

Autores

  • Adilson Ben da Costa
  • Gisele Steil Rodrigues Escola Tec Intensificação da Imagem
  • Luiza Baumann
  • Ronaldo Bastos dos Santos
  • Rodrigo Augusto Klamt
  • Fernando Sansone de Carvalho
  • Alcido Kirst
  • Eduardo Alexis Lobo

DOI:

https://doi.org/10.17058/cp.v30i1.12197

Resumo

A ingestão de flúor em excesso via água potável destaca-se como problema de saúde pública. O flúor em concentrações adequadas (6-9 mg L-1) atua na prevenção da cárie dental, entretanto, em quantidades acima do estabelecido pela portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde (1,5 mg L-1), causa fluorose dental. Assim, o principal objetivo deste trabalho foi o desenvolvimento de um protótipo para desfluoretação de águas subterrâneas, utilizando carvão ativado de osso como meio adsorvente. Após saturação, foram adicionados sais de cálcio e fósforo para auxiliar na desfluoretação. O sistema foi construído utilizando um tanque de adsorção preenchido com 235 kg de carvão ativado de osso, tendo uma concentração de fluoretos entre 2,1 e 3,7 mg L-1. O sistema foi operado com vazão entre 600 a 1.000 L h-1 tratando 410.535 litros de água, destacando que o nível de fluoretos na água foi ≤ 1,5 mg L-1. As vazões das soluções de cloreto de cálcio (4 g L-1) e dihidrogeno fosfato de potássio (4 g L-1) foram aproximadamente de 1,3 e 2,0 L h-1, respectivamente. Os resultados demonstraram que a técnica de precipitação por contato destaca-se como uma alternativa viável para o desenvolvimento de sistemas de desfluoretação de água para consumo humano.

Biografia do Autor

Gisele Steil Rodrigues, Escola Tec Intensificação da Imagem

Estudo da radiologia

Downloads

Publicado

2018-06-20

Edição

Seção

Artigos