ANÁLISE FAUNÍSTICA DE BESOUROS (COLEOPTERA) EM TRÊS DIFERENTES FITOFISIONOMIAS EM SANTA CRUZ DO SUL, RS, BRASIL

Jonas Moraes, Andreas Köhler

Resumo


A ordem Coleoptera é diversificada taxonomicamente, de grande importância econômica e ecológica, podendo atuar como bioindicadora da qualidade do ambiente. Objetivou-se com este estudo, conhecer a diversidade e abundância das famílias de Coleoptera em uma área com diferentes fitofisionomias no município de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, sendo elas plantio de Eucalyptus saligna Smith, pastagem de bovinos e mata nativa (Floresta Estacional Decidual). As coletas realizaram-se semanalmente no período de outubro/2009 a março/2010, avaliando a ocorrência e distribuição de besouros através de armadilhas de solo do tipo pit-fall. Foram coletados 6.268 coleópteros, distribuídos em duas subordens, 26 famílias e 86 morfoespécies, demonstrando uma diversidade alta para a área de estudo (DMg = 9,72). As famílias com maior número de indivíduos foram Staphylinidae (35,83%), Scarabaeidae (28,84%) e Nitidulidae (19,85%). Aleocharinae sp. foi a morfoespécie mais freqüente (1.901 indivíduos), seguida de Stelidota sp. (834 indivíduos) e Canthon sp. 1 (628 indivíduos). Os ambientes mostraram-se diferentes quanto a aspectos de abundância e diversidade de espécimes capturados, onde foram coletados 1.540 indivíduos (24,57%) em monocultura de eucalipto, 746 (11,90%) na pastagem de bovinos e 3.982 (63,53%) na mata nativa. Fatores como umidade e temperatura interferem na distribuição e ocorrência dos insetos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cp.v23i1.4727


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo