ANÁLISE FAUNÍSTICA DE COCHONILHAS (HEMIPTERA: STERNORRHYNCHA) NA CULTURA DA VIDEIRA NO MUNICÍPIO DE PINTO BANDEIRA, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

Priscila Paris, Liéven Peruzzo, Willian Campeol Zadra, Graziela Poletto, Vera Regina dos Santos Wolff, Marcos Botton, Wilson Sampaio de Azevedo Filho

Resumo


O Rio Grande do Sul é o principal estado produtor de uvas e vinhos do país, com destaque para a região da Serra Gaúcha. Um dos principais problemas enfrentados pelos viticultores é a presença de cochonilhas que ocorrem na parte aérea da cultura e que, dependendo da severidade dos danos causam a morte da planta. Nesse trabalho foi realizada uma análise faunística das cochonilhas presentes na parte aérea de videiras, no município de Pinto Bandeira, RS. As amostragens foram realizadas quinzenalmente em vinhedo comercial de 1 ha de Vitis vinifera L. cultivar Merlot. Foram coletadas amostras de cochonilhas presentes no ritidoma e brotações, de janeiro de 2011 a janeiro de 2013. A triagem e identificação dos espécimes foram realizadas em laboratório com o auxílio de microscópio óptico e bibliografia especializada. Os dados obtidos foram analisados a partir da determinação da frequência, constância e dominância. Foram identificadas duas espécies de cochonilhas incluídas em Diaspididae - Hemiberlesia latanie e Pseudaonidia marquesi; e uma em Monophlebidae - Icerya schrottkyi. Hemiberlesia latanie foi a espécie que apresentou 89,72% de frequência, I. schrottkyi 7,13% e P. marquesi 3,14%. Hemiberlesia latanie foi a cochonilha dominante, mais frequente e constante no vinhedo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cp.v26i3.5595


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo