Transição do paradigma tecnológico e a inserção da economia brasileira em contexto global

Guilherme Nunes Pires, João Victor Souza da Silva

Resumo


O intuito do artigo é compreender como ocorreu a inserção da economia brasileira contemporânea diante da transição do paradigma fordista para o microeletrônico. Para isso, serão expostas as características da economia brasileira durante sua fase de industrialização e sob o paradigma metalomecânico-químico (1930-80). Com o processo de reestruturação produtiva global, iniciado nos anos 1980, a economia nacional apresentou queda elevada da participação da indústria no produto. Sua participação nas Cadeias Globais de Valor (CGV) tem como papel predominante o fornecimento de produtos intensivos em recursos naturais e de baixo valor adicionado. Sintetiza-se que a estrutura produtiva interna do Brasil foi condicionada por sua posição no comércio internacional, seja em seu período áureo de industrialização ou nas décadas recentes, a complexidade produtiva se sujeitou à manutenção de exportações de bens não industriais ou de indústria de baixa intensidade tecnológica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cepe.v0i46.10527

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo