A INFLUÊNCIA DA CO-ASSIMETRIA E DA CO-CURTOSE NO RETORNO DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS BRASILEIROS

Bruno Milani, Paulo Sérgio Ceretta

Resumo


A indústria de fundos de investimento representa uma das principais formas de captação e investimento de recursos no mundo. Entre os problemas mais comuns no estudo dos fundos de investimento estão a mensuração, comparação e classificação dos retornos financeiros obtidos pelos fundos de investimento. Entre os principais modelos utilizados para tanto, está o Capital Asset Pricing Model (CAPM). Há uma gama de estudos que testam a validade do CAPM, bem como criticam e sugerem complementações que visam incrementar a qualidade do modelo. Entre as críticas mais conhecidas está a influência dos momentos superiores, preconizada por Miller e Scholes (1972), Kraus e Litzenberger (1976), Lee (1977) e Ang e Chua (1979). Este estudo foi aplicado a sub-amostras de fundos de gestão ativa e passiva cujos benchmarks são o Ibovespa, o IBrX e o ISE, segregadas em quartis, no intuito de verificar se os momentos superiores impactam a precificação dos fundos de investimentos brasileiros. Foi evidenciado que a inclusão dos momentos superiores é capaz de gerar coeficientes significativos, especialmente no que tange à co-curtose. Também verificou-se que o coeficiente linear tende a desaparecer conforme as novas variáveis são incluídas no modelo.

Palavras-chave


Fundos de Investimento, Momentos Superiores, CAPM

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cepe.v0i40.4858

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo