Análise comparativa da força muscular respiratória, força de preensão palmar e capacidade funcional entre puérperas de parto cesárea e em nuligestas

Michele Saldanha, Marciele Silveira Hopp, Litiele Evelin Wagner, Bárbara da Costa Flores, Kauan Pedroso Pinto, Nadiéle Cavalheiro Fischer, Éboni Marilia Reuter, Dannuey Machado Cardoso, Dulciane Nunes Paiva

Resumo


Objetivo: Comparar a força de preensão palmar (FPP), força muscular respiratória (FMR) e capacidade funcional (CF) entre puérperas de parto cesárea e nuligestas. Método: Estudo transversal quantitativo que avaliou mulheres com idade entre 16 e 35 anos admitidas na maternidade do Hospital Santa Cruz, Santa Cruz do Sul - RS para parto cesárea (Grupo Puérpera – GP) e nuligestas hígidas (Grupo Controle – GC). Após avaliação das características antropométricas foram aferidas a FPP por meio de dinamometria hidráulica manual e a FMR (Pressão Inspiratória Máxima - PImax e Pressão Expiratória Máxima - PEmax) por meio de manovacuometria digital. A CF foi avaliada através da escala Basic Activities of Daily Living (BADL). Resultados: Avaliadas 30 mulheres (GC: n = 15 e GP: n = 15) com média de idade de 23,80 ± 4,61 anos e índice de massa corpórea (IMC) de 23,94 ± 4,91 kg/m2. Houve redução da PImax (p<0,001; p<0,002) e da PEmax (p<0.001; p<0,001) no GP em relação ao GC quando comparadas as médias dos valores absolutos e preditos, respectivamente. Evidenciada diferença significativa da CF entre GP e CG (p=0,010), não tendo sido observada diferença da FPP entre os grupos analisados. Conclusão: Puérperas de parto cesárea apresentam redução da força muscular respiratória em relação às nuligestas.

Palavras-chave


Período pós-parto; Força muscular; Dinamômetro de força muscular

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v18i0.11170

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo