Efeito da variação postural sobre a função pulmonar em portadores de esclerose múltipla

Bruna Corrêa, Dulciane Nunes Paiva

Resumo


Introdução: A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença autoimune que causa desmielinização e inflamação, afetando adultos jovens. Sua progressão leva a redução da força dos músculos respiratórios. Objetivo: Avaliar a força muscular respiratória (FMR) nas posições sentada a 90° e supina a 0° em portadores de EM e comparar os valores obtidos com os de indivíduos hígidos do mesmo gênero e faixa etária. Métodos: Trata-se de um estudo de delineamento transversal, natureza quantitativa, do tipo Estudo de Casos, onde se avaliou a FMR por manovacuometria, em duas posições distintas, sentada a 90° e supina a 0°. Foram avaliados 02 indivíduos portadores de EM com faixa etária de 22 (Caso 1) e 57 (Caso 2) anos, do sexo feminino, sendo também avaliados 02 indivíduos saudáveis. Os dados foram analisados e expressos em variação percentual. Resultados: Foi observado que a FMR nos portadores de EM se encontra reduzida em 50,44% em relação aos indivíduos saudáveis, tanto na posição sentada a 90° quanto na posição supina a 0°. Quanto ao efeito da variação postural, foi constatado que o Caso 1 apresentou melhores resultados de PImax e PEmax na posição sentada e o Caso 2, obteve melhora, nessa mesma posição, apenas da PEmax. Conclusão: A FMR em portadores de EM foi menor quando comparado com indivíduos hígidos do mesmo gênero e faixa etária, independente da posição corporal. Os valores de pressões respiratórias máximas foram maiores quando aferidos na posição sentada, mas sem grande diferença percentual quando comparados com a posição supina a 0°.

Palavras-chave


Esclerose Múltipla; Músculos Respiratórios; Postura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v13i4.3124

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo