Determinação da carga de trabalho decorrente de aulas de educação física escolar

Socorro Fernanda Coutinho dos Santos, Sheilla Tribess, Alex Soares Marreiros Ferraz

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar a utilização de métodos de determinação da carga de trabalho dos esforços físicos, realizados nas aulas de Educação Física. A amostra foi composta por escolares de 11 a 13 anos, foram realizadas medidas antropométrica e companhadas duas aulas de Educação Física, para determinação do tempo engajado em esforços físicos, tempo correndo, e carga de trabalho. Essa foi determinada pelo método da zona de frequência cardíaca (FC) e da percepção subjetiva de esforço (PSE). Os dados foram apresentados através frequência relativa e absoluta, estatística descritiva (média, amplitude de variação e desvio-padrão) e medidas de associação (Graph Pad Prisma 5.0). Os resultados relevam que os esforços realizados foram de baixa intensidade e duração, em termos de alteração da FC e do tempo de participação ativa na aula, com os meninos se apresentando mais ativos, do que as meninas. A determinação da carga de trabalho, corroborou esses resultados. Os métodos apresentaram correlação positiva e linear com o tempo engajado e tempo correndo. Dessa forma, pressupõe-se que ambos os métodos poderiam ser utilizados na análise dos esforços realizados, durante as aulas de Educação Física escolar.

Palavras-chave


Educação Física Escolar; Esforços Físicos; Carga de Trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v14i1.3634

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo