Nível de stress de oficiais de arbitragem do basquetebol catarinense

Pâmela Colonetti Arns, Alexandra Folle, Rogério Marques Leite

Resumo


Objetivo: verificar o nível de stress de oficiais de arbitragem do basquetebol catarinense. Método: participaram do estudo 76 oficiais, sendo 37 oficiais de mesa e 39 árbitros. O instrumento utilizado na coleta de dados foi o Formulário para Identificação de Situações de Stress em Basquetebol. A análise dos dados foi realizada por meio da estatística descritiva (frequência e percentual) e inferencial (qui-quadrado). Resultados: de modo geral, a equipe de arbitragem do basquetebol catarinense apresenta nível de stress de moderado a baixo, não sendo encontradas diferenças significativas entre o nível de stress e as variáveis estudadas (sexo, idade, categoria, função). Além disso, os principais fatores de jogo causadores de stress para os membros da equipe de arbitragem são os relacionados a eventos de ordem Pessoal e os que dependem da atuação dos colegas de Equipe. Considerações finais: tais informações revelam a importância da realização, por parte das federações esportivas, de clínicas para padronização das intervenções da equipe de arbitragem e do fornecimento de suporte com profissionais especializados, ações estas que poderão proporcionar maior segurança e tranquilidade, em relação às ações efetivadas, tanto em termos individuais
quanto coletivos.

Palavras-chave


Stress; Árbitros; Esportes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v15i1.4341

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo