Aptidão física relacionada à saúde de mulheres ao iniciar um programa de treinamento aquático

Thiago Medeiros Daniele, Maria Tatiana de Lima Rocha

Resumo


Objetivo: verificar possível relação entre a aptidão cardiorrespiratória e a composição corporal de voluntárias que iniciaram programas de exercícios aquáticos. Método: trata-se de um estudo descritivo desenvolvido em uma amostra de 24 mulheres sedentárias, com média de idade de 25,2 ± 5,9 anos, na cidade de Fortaleza, Ceará. A aptidão cardiorrespiratória foi avaliada através do VO2 máximo. A composição corporal foi avaliada através do índice de massa corporal (IMC), circunferência abdominal, relação cintura/quadril, densidade corporal, peso ósseo, peso muscular, peso residual e massa magra. Resultados e considerações finais: o percentual de gordura corporal foi independentemente associado com a densidade corporal, VO2 máximo (p < 0,005) e circunferência abdominal (p = 0,003). Mulheres com IMC e percentual de gordura elevados apresentam médias significativamente inferiores de VO2 máximo, em comparação às mulheres com níveis desejados destes parâmetros. Além disso, o IMC foi inversamente correlacionado aos valores de VO2 máximo.

Palavras-chave


Composição Corporal; Sedentarismo; Avaliação Física; Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v15i4.5326

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo