Análise da relação entre estilo de vida e a percepção subjetiva da fadiga em trabalhadores para a implantação da ginástica laboral

Marcos Gonçalves Maciel

Resumo


Este trabalho investigou a relação do estilo de vida e a percepção subjetiva da fadiga em funcionários de uma empresa do ramo metalúrgico, para a implantação de um programa de ginástica laboral. Os resultados mostraram que os funcionários consideraram o seu trabalho cansativo (68,2%) e que ficavam tensos com a realização das tarefas (55,5%), e que as mesmas provocavam dores musculares (70,8%) – as regiões corporais com maiores queixas de dor são as pernas (21,4%), as costas (20,0%), os braços (14,9%). Em virtude dos resultados apresentados, a realização da ginástica laboral poderá contribuir para a redução da fadiga e das dores musculares, bem como promover a melhoria da qualidade de vida no trabalho.

Palavras-chave


Ginástica Laboral; Estilo de Vida; Trabalho; Fadiga.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v8i1.555

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo