A influência do método pilates na musculatura do assoalho pélvico em mulheres no climatério: estudo de caso

Josiane Teresinha Bertoldi, Ariane Maiara Medeiros, Sabrina Oliveira Goulart

Resumo


Objetivo: avaliar a influência dos exercícios do método Pilates na força de contração da musculatura do assoalho pélvico (MAP) e na qualidade de vida (QV) de mulheres no climatério. Método: amostra composta por duas mulheres (1) e (2), com 50 e 48 anos respectivamente, sem disfunção da MAP. A pré e pós-avaliação foi composta pelos protocolos: avaliação visual funcional (AFA), teste dos cones vaginais (TCV), teste de força com perineômetro modelo perina, quark® para fibras rápidas (TPFR) e para fibras lentas (TPFL), e avaliação da QV com o Women´s Health Questionnaire (WHQ). O tratamento consistiu em 10 sessões de 50 minutos, 03 vezes por semana, compostas por exercícios selecionados do método Pilates. Resultados: AFA e TCV o grau de força foi máximo no pré e pós-teste, entretanto notou-se melhora da contração isolada da MAP; no TPFR houve incremento de força de 45,83% (1) e 362,50% (2), no TPFL o ganho foi de 82,43% (1) e 209,38% (2); no WHQ houve variação positiva nas dimensões: sintomas somáticos, vasomotores, menstruais, atratividade e depressão. Considerações finais: o método Pilates promove aumento da força de contração da MAP, com discreta influência na autopercepção da QV de mulheres no período do climatério, sem patologias associadas.

Palavras-chave


Diafragma Pélvico; Climatério; Saúde da Mulher; Fisioterapia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v16i5.6577

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo