Perfil dermatoglífico e bullying escolar em crianças e adolescentes

Marcela Almeida Zequinão, Pâmella de Medeiros, Paola Cidade Cordeiro, Rudy Nodari Junior, Fernando Luiz Cardoso

Resumo


O fenômeno bullying vem sendo tema de diversas pesquisas nos últimos 30 anos, contudo, apenas recentemente, com o intuito de tentar entender e explicar o envolvimento de crianças e adolescentes nesse comportamento violento, pesquisadores têm apontado características individuais como possíveis indicadores de envolvimento nos papéis de participação do bullying escolar. Objetivo: analisar as relações entre aspectos genéticos e participação no bullying escolar, por meio do perfil dermatoglífico de crianças e adolescentes de escolas de Florianópolis, SC. Material e Método: participaram 409 crianças e adolescentes do 3º-7º ano do Ensino Fundamental, em duas escolas públicas. Para avaliação da marca genética utilizou-se o Leitor Dermatoglífico e para os papéis no bullying, utilizou-se uma Escala Sócio Métrica. Resultados: uma associação negativa entre ser vítima e prevalência do desenho LU foi encontrada, bem como uma associação positiva entre ser agressor e prevalência do desenho LR. Conclusão: as diferenças entre os desenhos LR e LU vêm sendo estudadas recentemente e ainda não apontam resultados conclusivos sobre as características específicas de indivíduos com esses tipos de desenhos e possíveis diferenças entre eles. Mais estudos são necessários para investigar se existem relações entre esses desenhos e questões comportamentais e de personalidade, podendo influenciar a participação no bullying.

Palavras-chave


Dermatoglifia; Genética; Intimidação Escolar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v18i3.9007

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo