Neuropsicologia, formação e desafios

Diogo Fagundes Pereira

Resumo


O presente trabalho trata-se de uma pesquisa documental, no qual foram analisados currículos de cursos de pós-graduação em Neuropsicologia no estado do Rio de Janeiro. Embora essa especialidade não seja exclusiva do domínio da psicologia, existem diferenças significativas nos programas de pós-graduação nessa área, tanto em relação à carga horária, como na distribuição das disciplinas. Objetivo: identificar as principais diferenças encontradas nas ementas dos cursos e verificar as implicações dessa formação para a prática profissional. Método: realizou-se uma pesquisa documental no dispositivo de busca Google, com as palavras-chave: “Pós-graduação, Neuropsicologia, Rio de Janeiro”. Resultados: foram encontrados 7 programas que foram divididos e analisados nas categorias: carga horária, ênfases, estágios e público-alvo. Os resultados apontaram que não existe regularidade nas cargas horárias, bem como, nas escolhas das disciplinas. Considerações finais: não existem critérios definidos das ênfases: educação, avaliação e reabilitação neuropsicológica e aponta ainda, necessidade de estruturar o programa dessa especialidade, pois independente da sua formação, o profissional estará habilitado em trabalhar com a neuropsicologia em todo território nacional, o que poderia implicar em prejuízos na saúde e bem estar dos indivíduos, assim como, numa estagnação no desenvolvimento das pesquisas em neurociências.

Palavras-chave


Neuropsicologia; Currículo; Formação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v18i4.9487

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo