Desenvolvimento socioeconômico do setor calçadista: uma empresa, duas regiões

Autores

  • Silvania Terezinha Moll
  • Virginia Elisabeta Etges

DOI:

https://doi.org/10.17058/redes.v19i2.5205

Palavras-chave:

Uso do território. Guerra fiscal. Desenvolvimento regional

Resumo

Com o fenômeno da globalização, as empresas brasileiras buscaram novas oportunidades de crescimento. Através dos incentivos fiscais os Estados, a partir de seus governos, objetivaram atrair investimentos gerando competição com os demais, prática conhecida como guerra fiscal. Algumas empresas, utilizando-se deste recurso, instalaram novas unidades produtivas ou mesmo deslocaram-se para regiões distantes, com condições socioeconômicas precárias e pouca qualificação da mão de obra. Neste estudo buscou-se analisar o uso do território a partir do caso de uma empresa calçadista, instalada em duas regiões - Sul e Nordeste -, com Índices de Desenvolvimento Humano bastante diversos. Partindo de uma análise comparativa da percepção de 658 trabalhadores do grupo D sobre desenvolvimento, avaliou-se o impacto causado pela instalação da indústria na nova localidade, bem como junto aos trabalhadores atuantes na sede da empresa. Verificou-se também o crescimento sócio econômico dos Municípios de Nova Petrópolis, no RS, e de Russas, no Ceará, no decênio de 1997 a 2007. Os resultados da pesquisa demonstraram particularidades entre os trabalhadores da Unidade do Sul e da Unidade do Nordeste quanto à educação formal, nível salarial, renda familiar, sindicalização, o primeiro emprego, entre outros. Quanto à qualidade de vida, os níveis de satisfação dos trabalhadores antes do emprego e após terem sido contratados pela empresa também se apresentam diferenciados nas duas unidades. No entanto há pontos em comum que se referem à aquisição de bens materiais, atividade profissional e nível de ambição dos trabalhadores.

Downloads

Publicado

2014-09-25

Edição

Seção

Artigos