A arte como arte de existência: experiências de socialização de jovens de origem popular em Salvador, Bahia

Ivan Faria, Vitor Sérgio Ferreira, Juarez Tarcísio Dayrel

Resumo


Neste artigo analisamos experiências de socialização artística de jovens de origem popular, que investiram na formação e profissionalização no mundo das artes. Discutimos os papéis socializadores do bairro, da igreja, das mídias e de projetos socioculturais para a formação do artista. O trabalho fundamenta-se na literatura sociológica sobre juventude, socialização e profissões artísticas. A análise centra-se nas experiências de nove jovens que realizaram formação profissionalizante e se tornaram profissionais em música, dança, vídeo e fotografia, em Salvador, Bahia. Os resultados apontam a importância de novos contextos socializadores para a construção de mundos artísticos menos elitizados e abertos. Os participantes da pesquisa mostram que mesmo diante de horizontes incertos para a juventude, não deixam de desejar e trabalhar para converter sonhos em projetos profissionais ou em artes de subsistência.

Palavras-chave


Juventude. Mundo artístico. Socialização artística.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v26i2.11717

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo