Gênero charge: construção de significados a partir de uma perspectiva interdisciplinar e dinâmica

Autores

  • Jorge Bidarra
  • Leidiani da Silva Reis

DOI:

https://doi.org/10.17058/signo.v38i64.3409

Resumo

O presente trabalho discute e analisa o processo interpretativo do gênero charge, levando em consideração o seu papel no contexto ensino-aprendizagem. Para tanto, a discussão é pautada na abordagem sociointeracionista da linguagem, para a qual o texto deve ser visto como uma atividade interacional, criativa e social. Partindo-se desse ponto de vista, interpretar um texto torna-se uma tarefa complexa, que requer estratégias cognitivas e metacognitivas. Para efeito de sondagem, selecionamos a Charge “Eleição para Papa”, de autoria de Alberto Benett (2013). Ao longo do texto, mostraremos que, no caso de charges, um dos requisitos fundamentais é o estabelecimento da intertextualidade, mormente com o envolvimento de outros textos jornalísticos. Observamos ainda que, em tal circunstância, sem o devido acionamento de conhecimentos prévios (conhecimentos de mundo e linguístico, por exemplo), a interpretação realizada pelo leitor tende a falhar. Por se tratar de um gênero composto pela mistura de linguagem verbal com a não verbal (pictórica), a charge tem sido considerada um material muito rico para ser trabalhado com alunos em salas de aulas. A interpretação desse gênero textual requer, muitas vezes, conhecimentos que envolvem não só a política e a religião, mas também fatos históricos, geográficos, artísticos e de linguagem. O caráter humorístico, informativo e opinativo das charges, bem como a ampla circulação social que assumem, fazem da charge um instrumento importante para a formação de alunos críticos e reflexivos, atributos cada vez mais solicitados pela sociedade.

Downloads

Publicado

2013-01-02

Edição

Seção

Dossiê - O texto e a multimodalidade textual