A influência da mídia no discurso de vítimas de violência urbana em Fortaleza-Ceará-Brasil

Autores

  • Ana Cristina Pelosi Universidade Federal do Ceará
  • Heloísa Pedroso de Moraes Feltes
  • Lynne Cameron

DOI:

https://doi.org/10.17058/signo.v38i65.4545

Resumo

Este artigo apresenta, sob a ótica da análise do discurso à luz da metáfora, resultados parciais de análises sobre a influência que a mídia parece exercer sobre as falas de vítimas de violência urbana em Fortaleza-Ceará-Brasil. Entendemos a metáfora como emergência dinâmica complexa, capaz de expressar sentimentos, valores, crenças e atitudes dos participantes ao relatarem como suas rotinas têm mudado em vista do prevalecente estado de violência. Nessa ótica, analisamos a recorrência de veículos metafóricos e metonímicos presentes em alguns excertos do corpus que nos permitem propor a emergência da metáfora sistemática VIOLÊNCIA É UM PRODUTO MANUFATURADO PELA MÍDIA.

Biografia do Autor

Ana Cristina Pelosi, Universidade Federal do Ceará

Graduada em Letras, Língua e Literatura Inglesa pela Universidade de Brasilia (1981). Mestre em Linguística e Ensino de Inglês (Linguistics and English Language Teaching) pela Universidade de Leeds, Inglaterra (1986) e Doutora em Linguística e Psicologia pela Universidade de Leeds, Inglaterra (1995). Realizou Estágio Pós-Doutoral na Universidade da Califórnia em Santa Cruz, E. U. A. (2004), no Departamento de Psicologia, com a colaboração de Raymond W. Gibbs Jr. Lidera o Grupo de Pesquisa GELP-COLIN (Cognição e Linguística) registrado na Plataforma Lattes. Professora Associada da Universidade Federal do Ceará, onde atua no Programa de Pós-Graduação em Linguística. Tem experiência em Psicolinguística e Linguística, com ênfase em Linguística Cognitiva e Linguística Aplicada. Atua em projetos de pesquisa nacionais e internacionais e na formação de recursos humanos, sob os seguintes temas: categorização semântica, emergência da metáfora sob um aporte cognitivo-discursivo.

Downloads

Publicado

2013-07-04

Edição

Seção

Artigos – vol. 38, nº 65, 2013