ATIVIDADE INSETICIDA DE EXTRATOS BOTÂNICOS DE TRÊS ESPÉCIES SILVESTRES DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL, SOBRE MYZUS PERSICAE (HEMIPTERA: APHIDIDAE) E ASCIA MONUSTE ORSEIS (LEPIDOPTERA: PIERIDAE)

Aline Gerhardt, Marisa Terezinha Lopes Putzke, Patrícia Braga Lovatto

Resumo


O conhecimento sobre o uso de plantas bioativas para o manejo de insetos constitui-se numa importante alternativa para a produção de base familiar e agroecológica, onde a utilização de extratos botânicos torna-se viável do ponto de vista ambiental e econômico, fornecendo garantias à sustentabilidade produtiva. Nesse sentindo, o presente trabalho teve como objetivo verificar a bioatividade de extratos aquosos de Pteridium aquilinum (Dennstaedtiaceae), Ateleia glazioviana (Fabaceae) e Erythroxylum deciduum (Erythroxylaceae) sobre a mortalidade de Myzus persicae e Ascia monuste orseis. Além dos extratos botânicos, confrontados com a testemunha, água destilada, foi avaliada a bioatividade do produto comercial Organic Neem® na proporção 0,3% v/v. Os extratos aquosos foram elaborados a partir da adição de solvente aquoso às folhas secas das plantas na proporção de 30% p/v. Após 24h de repouso o sobrenadante foi utilizado nas pulverizações feitas sobre as plantas hospedeiras, as quais foram dispostas aos insetos em placas de Petri acondicionadas em BOD por 24 e 48h. Os resultados apontaram para maior efetividade do produto comercial seguido do extrato aquoso das folhas de P. aquilinum, resultando na maior mortalidade de afídeos e lagartas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cp.v24i2.3590


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo