Análise de lesão muscular e comportamento do vo2máx entre um programa de treinamento de corrida em piscina funda e corrida em terra

Alecsandra Pinheiro Vendrusculo, Cristine Lima Alberton, Fernando Beltrame, Jéssica Maier, Leonardo Peyre Tartaruga, Patrícia Dias Pantoja, Luiz Fernando Martins Kruel

Resumo


Objetivo: avaliar e comparar a ocorrência de lesão muscular e o comportamento do consumo máximo de oxigênio (VO2máx) entre um programa de treinamento de corrida em terra (CT) e um programa de treinamento de corrida em piscina funda (CPF). Método: participaram do estudo 14 indivíduos não treinados. O treinamento durou 12 semanas, três vezes na semana. Analisou-se o comportamento do VO2máx pré e pós-treinamento. Para a análise de lesão muscular utilizou-se a enzima creatina quinase (CK) pré, logo após, pós 24h e 48h da sessão, a cada quatro semanas e a ultrassonografia (US) a cada quatro semanas. Resultados: Quando se analisou o comportamento do VO2máx, verificou-se diferença entre os valores pré e pós-treinamento, mas não houve diferença entre os grupos. Quanto à CK, verificou-se diferença entre os grupos na medida 24hs após, o que não foi verificado nas outras medidas. Para o grupo CT, somente nas coletas dois e quatro verificou-se diferença entre as medidas 24hs após e 48hs após, mas não ocorreram diferenças significativas entre as medidas e nem entre os grupos. Na US, nenhum dos grupos apresentou diferença significativa
entre os exames, mas no grupo CT apareceram duas lesões na terceira coleta. Considerações finais: concluiu-se que as duas modalidades de treinamento proporcionam uma melhora na aptidão cardiorrespiratória e, embora não tenha ocorrido diferença significativa em algumas coletas de CK entre os grupos, a CT provocou maiores aumentos na concentração sanguínea de CK, sugerindo que o meio líquido pode ser o mais indicado para proteger o sistema musculoesquelético.

Palavras-chave


Corrida em Terra; Corrida em Piscina Funda; Lesão Muscular; Consumo Máximo de Oxigênio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v15i2.5043

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo