LEITURA E INFÂNCIA: A PRODUÇÃO DOS MODOS DE SER E PRÁTICAS DE LEITURA

Karen Cristina Cavagnoli, Betina Hillesheim, Lílian Rodrigues da Cruz

Resumo


Este trabalho propõe discutir a produção da infância em relação à prática da leitura. Para isso, a partir dos sentidos produzidos sobre a leitura na perspectiva das crianças leitoras, considera-se tais práticas como território de produção de sujeitos. Entende-se que a prática da leitura produz modos de existência, os quais não se referem somente às crianças, mas também às maneiras pelas quais os adultos as compreendem e se relacionam com elas e consigo. A produção de dados ocorreu a partir da realização de grupos focais formados por crianças de 4ª série do ensino fundamental. Os resultados apontam para sentidos distintos, mas que se entrecruzam: leitura associada ao prazer e à obrigação; leitura pressupondo tempos e espaços. Tais marcadores evidenciam a produção de um leitor no âmbito das práticas de leitura que passa preferencialmente pelo discurso pedagógico.

Palavras-chave


Infância. Leitura. Modos de Subjetivação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rjp.v0i1.2251



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo


PRÓ-REITORIA ACADEMICA, DIREÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO


Av. Independência, 2293
CEP 96815-900 - Santa Cruz do Sul - RS
Bloco 25 - Sala 2501
Fone: +55-51-3717-7341