PAISAGENS CARTOGRAFADAS: CRIANÇAS NÔMADES E ESCOLA

Letícia Aline Back, Alexsander Witt Rodrigues, Betina Hillesheim, Lílian Rodrigues da Cruz

Resumo


O presente artigo objetiva apresentar algumas discussões referentes aos estudos sobre a inclusão escolar, advindas da pesquisa Infância, Educação e Nomadismo, onde se buscou compreender as formas através das quais se dá o processo de inclusão escolar de crianças e adolescentes provenientes de circos e parques de diversões. A pesquisa voltou-se para uma escola no município de Santa Cruz do Sul (RS), devido à maior circulação de estudantes nômades. Foram realizadas entrevistas com a equipe diretiva e professores dessa escola e com estudantes e familiares provenientes de três circos e dois parques de diversões que tiveram passagem pela cidade no período de 2010 a 2012. Também foi realizada a análise dos principais documentos voltados para a inclusão escolar. A partir dos resultados produzidos, percebemos uma baixa visibilidade dos estudantes nômades nas políticas públicas educacionais e nas discussões sobre a inclusão, bem como uma possível resistência do ambiente escolar em se adequar a novas situações, a novos estudantes, ou melhor, ao diferente, apontando que a dificuldade no processo de aprendizagem está, principalmente, dentro da escola e não na experiência do próprio estudante, visto que este já criou estratégias para dar conta de suas necessidades.

Palavras-chave


Educação; Nomadismo; Inclusão; Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rjp.v3i3.4281



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo


PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO


Av. Independência, 2293
CEP 96815-900 - Santa Cruz do Sul - RS
Bloco 25 - Sala 2501
Fone: +55-51-3717-7341