Condições e modificações no processo de trabalho: concepções de Agentes Comunitários de Saúde

Karin Gabriele Bender, Amanda Corrêa dos Santos, Bruno Dittberner Dutra, Luciane Maria Schmidt Alves, Ari Nunes Assunção, Suzane Beatriz Frantz Krug

Resumo


O objetivo do estudo foi investigar as condições de trabalho do Agente Comunitário de Saúde (ACS) e as modificações necessárias para o aprimoramento das mesmas. Estudo transversal, descritivo do tipo quantitativo-qualitativo, com 251 ACS de 34 equipes de Estratégias de Saúde da Família e de 5 Estratégias de Agentes Comunitários de Saúde dos 13 municípios da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde/RS. Os dados foram coletados com o formulário "Inventário de Trabalho e Risco de Adoecimento" e analisados obtendo-se o escore fatorial dos fatores com o cálculo da média dos itens. Para o estudo qualitativo, cujos dados foram analisados por meio da Análise de Conteúdo, 16 sujeitos participaram de entrevistas, em uma amostragem intencional por município e tipo de estratégia de saúde. Evidenciou-se uma avaliação moderada/crítica no fator condições de trabalho. Os ACS desejam a modificação do ambiente físico do local de trabalho, apontaram a falta de material de apoio e educativo para realização das atividades, de auxílio financeiro e de transporte para as visitas domiciliares. Infere-se que os fatores citados podem ser considerados como dificultadores para a execução do trabalho dos ACS na região estudada.

Palavras-chave


Agentes Comunitários de Saúde. Estratégia Saúde da Família. Saúde do Trabalhador.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rjp.v6i2.7283



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo


PRÓ-REITORIA ACADEMICA, DIREÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO


Av. Independência, 2293
CEP 96815-900 - Santa Cruz do Sul - RS
Bloco 25 - Sala 2501
Fone: +55-51-3717-7341