Unidade piloto em regime de batelada com sistema de reatores anaeróbios + microalgas + wetlands construídos em fluxo vertical

Autores

  • Matheus Wink UNISC
  • Wilian Ribeiro UNISC
  • Sabine Pommerehn UNISC
  • Julia Fernanda Radtke UNISC
  • Elizandro Silveira UNISC
  • Ênio Leandro Machado Universidade de Santa Cruz do Sul

DOI:

https://doi.org/10.17058/rjp.v6i2.7303

Palavras-chave:

Wetlands construídos . Microalgas. Efluentes urbanos.

Resumo

Três configurações para operar em batelada sistemas integrados que evoluíram para Reatores Anaeróbios + Microalgas + Wetlands Construídos de Fluxo Vertical (RA + MA + WCFV) foram investigadas neste trabalho, tendo as configurações as seguintes características: combinação de tanque de MA com 90L de volume útil, dotado de recirculação interna em cone de acrílico e externa com tanque de 20L, também em acrílico, sendo integrado com WCFV com tempo de detenção hidráulico (TDH) de 3 dias com a macrófita Hymenachne grumosa. A configuração do sistema RAs +MA + WCFV vem em operação nos últimos 8 meses, mostrando reduções totais de N-NH4+ (com concentração inicial de 68 mg L-1) , associando 50% de redução de DQO e 70% de fósforo total. Melhorias para o controle de remoção de algas residuais devem ser feitas para aplicação do WCFV, especialmente quanto a carga volumétrica, que deverá ser com até 20 cm dia-1. Para continuidade da evolução foram considerados que devem ser pesquisados os seguintes aspectos: impossibilidade de operação do sistema em fluxo contínuo; drenagem do sistema de lodo não permite sua remoção completa nos Reatores Anaeróbios (RAs) e impossibilidade de recarga simultânea dos sistemas.

Biografia do Autor

Matheus Wink, UNISC

Químico Industrial

Ênio Leandro Machado, Universidade de Santa Cruz do Sul

Químico Industrial, Doutor em Engenharia

Downloads

Publicado

2016-10-31

Edição

Seção

CIÊNCIAS EXATAS, DA TERRA E ENGENHARIAS