AVALIAÇÃO DA DISPERSÃO ATMOSFÉRICA DE COMPOSTOS ODORANTES EMITIDOS NA INDÚSTRIA PAPELEIRA

Waldir Nagel Schirmer, Tiago José Belli, Mauricy Kawano, Júlio César Batista Nogueira, Rafaelo Balbinot

Resumo


O caráter odorante de compostos reduzidos de enxofre (TRS), tipicamente emitidos na indústria papeleira, tem gerado grande interesse por parte dessas indústrias em predizer a qualidade do ar nas proximidades de suas fontes emissoras. Desse modo, o presente trabalho tem por objetivo avaliar o impacto na atmosfera resultante das emissões de TRS de uma fabricante de papel e celulose de grande porte, por meio da modelagem dos compostos gasosos emitidos a partir de duas fontes pontuais (tomadas como as maiores contribuidoras). Para tanto, foi utilizado o “software” AID (Avaliação Instantânea de Dispersão) baseado no modelo de Gauss para determinação das concentrações (no ar) resultantes dessas emissões. Nessa determinação, foram abordados os principais parâmetros meteorológicos (dos últimos 3 anos) e cinéticos de emissão necessários à modelagem. A máxima concentração de TRS obtida após a modelagem foi de 3,84 ppb (somatório das duas fontes avaliadas), ficando bem abaixo dos limites de percepção odorífera (LPO) recomendado por órgãos internacionais (o Brasil não possui leis específicas para esse caso). Como os limites de toxicidade quase sempre estão bem acima dos LPO, é seguro afirmar que, no caso avaliado, a concentração máxima estimada não apresenta riscos de toxicidade à população exposta, uma vez, pelo valor obtido, nem o odor pode ser percebido.

Palavras-chave


Compostos reduzidos de enxofre; Dispersão atmosférica; Odor; Papel; TRS

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/tecnolog.v13i1.641

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo