Sensoriamento remoto aplicado na detecção de áreas degradadas pela mineração no sul do Brasil entre 1985-2011

Autores

  • Fernando Alves Cantini Cardozo UFRGS Departamento de Engenharia de Minas
  • Matheus Montes Pimenta UFRGS Departamento de Engenharia de Minas
  • Rafael da Rocha Ribeiro UFRGS Departamento de Geodésia

DOI:

https://doi.org/10.17058/tecnolog.v20i2.7369

Palavras-chave:

Sensoriamento remoto, Mineração, Área degradada, NDVI.

Resumo

A análise multitemporal de imagens de satélite foi aplicada a uma antiga mina abandonada localizada em Minas do Camaquã, no sul do Brasil, entre latitude e longitude -30.908591, -53.446582; para verificar a relação entre área degradada durante o funcionamento da mina e a área de recuperação da vegetação após anos de sua desativação. Uma série temporal de imagens do satélite Landsat foi classificada pelo índice NDVI (normalized difference vegetation index) para produzir três mapas de uso da região. A partir das comparações entre os referidos mapas e as áreas sem cobertura vegetal, foi possível quantificar a modificação em cada porção da paisagem, identificando-se a evolução das mudanças na área de vegetação natural. Verificou-se que no período 1985 -1996 a degradação aumentou em 8 %, ou 47,43 ha. Em contrapartida, em 2011 (o último ano analisado) observou-se que a cobertura vegetal foi superior ao primeiro período analisado, ou seja, ocorreu uma recuperação da vegetação de 26% ou 113,22 ha em relação a 1985.

Biografia do Autor

Fernando Alves Cantini Cardozo, UFRGS Departamento de Engenharia de Minas

Eng. de Minas M.Sc.

Matheus Montes Pimenta, UFRGS Departamento de Engenharia de Minas

Eng. de Minas

Rafael da Rocha Ribeiro, UFRGS Departamento de Geodésia

Geografo M.Sc. Ph.D.

Downloads

Publicado

2016-07-06

Edição

Seção

Tecnologia Ambiental