Escolha de áreas potenciais para para localização de um aterro sanitário no município de Pelotas/RS utilizando sistema de informações geográficas

Autores

  • Miguel David Fuentes Guevara Universidade Federal de Pelotas http://orcid.org/0000-0002-8735-8499
  • Rodolfo Caringi Majer
  • Heron da Silva Pereira
  • Priscila Ribeiro Gregolin
  • Matheus da Paz
  • Diuliana Leandro
  • Luciara Corrêa
  • Willian Cézar Nadaleti
  • Érico Kunde Corrêa

DOI:

https://doi.org/10.17058/tecnolog.v21i2.7837

Palavras-chave:

Resíduos sólidos, análises espaciais geográficas, seleção de áreas, disposição final

Resumo

Os resíduos sólidos ainda têm sua destinação final cercada de dificuldades e o debate deste setor cresceu com a criação, em 2010, da Política Nacional de Resíduos Sólidos, a qual estipulou um prazo de 4 anos, já vencido, para os municípios adequarem sua disposição final. Havendo encerrado as atividades no Aterro Controlado de Pelotas em 2012, atualmente a forma de disposição final dos resíduos urbanos é feita no Aterro Sanitário de Candiota, distante 150 km do município, gerando gastos econômicos, no transporte e operação na estação de transbordo. Este trabalho buscou através de análises espaciais geográficas escolher locais para a localização de um aterro no município de Pelotas, usando o Sistema de Informação Geográfica (SIG) software livre QGIS 2.12.3. Selecionaram-se duas áreas potenciais com aproximadamente 50 ha para a implantação de um Aterro Sanitário, tendo em conta a facilidade de acessos, além de atender à legislação e normas vigentes. As duas áreas estão localizadas ao leste do município na bacia hidrográfica do Arroio Pelotas, a vegetação predominante é de floresta estacional semidecidual e a zona onde se encontram possui composição geológica de sienogranito, e na sua maioria materiais como granitoide e gnaisse granodiorótico; o tipo de solo para a área 1, de acordo à classificação hidrológica do solo se enquadra em planossolo e para a área 2 em argissolo vermelho-amarelo. A possível localização do Aterro foi baseada nos critérios restritivos exigidos pela NBR 13896/1997 – Aterro de resíduos não-perigosos, visando a proteção dos recursos hídricos e minimizando ao máximo impactos ambientais.

Biografia do Autor

Miguel David Fuentes Guevara, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidad Popular del Cesar-UPC (2016), Valledupar- Colômbia. Atualmente é mestrando do Programa de Pós Graduação em Manejo e Conservação do Solo e da Água na Universidade Federal de Pelotas-UFPE (Brasil). Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Saneamento Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: tratamento de resíduos sólidos e liquídos, sustentabilidade, biossólidos, compostagem, análises físico-químicas e microbiológicas. Pesquisador atual no Núcleo de Educação Pesquisa e Extensão em Resíduos e Sustentabilidade-NEPERS (UFPEL)

Downloads

Publicado

2017-07-04

Edição

Seção

Tecnologia Ambiental