EXPERIENCIA DE ESTÁGIO DO SERVIÇO SOCIAL NA SAÚDE MENTAL

Simone Teresinha Mallmann, Eunice Maria Viccari, Rubia Cleiva Bucallo

Resumo


Introdução: O presente resumo tem como objetivo apresentar o projeto de intervenção do estágio curricular obrigatório de nível III, do curso de Serviço Social, executado no Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II na cidade de Venâncio Aires. O projeto foi executado no primeiro semestre de 2021, nos meses de maio, junho e julho. O CAPS II é um serviço especializado em saúde mental que atende pacientes acima de 18 anos, com algum sofrimento psíquico. Atualmente, o serviço atende mais de 2 mil pacientes, disponibilizando consultas médicas psiquiátricas e neurológicas, e atendimentos de psicológicos, assistentes sociais, enfermeiros, terapeuta ocupacional e nutricionista, além de prescrições e fornecimento de medicamentos mensalmente. O CAPS II dispõe de um espaço de convivência, para pacientes crônicos, que estão em regime de tratamento intensivo. Objetivos: Proporcionar reflexões e garantir o acesso à cultura para pacientes crônicos do CAPS II de Venâncio Aires. Os objetivos específicos foram: oportunizar acesso à cultura de forma descentralizada no CAPS II; Contribuir com o desenvolvimento da cidadania de forma lúdica; e, proporcionar a criação de espaços de convívio para discussão de necessidades sociais comuns. Metodologia: Para a execução do projeto, utilizou-se da metodologia participativa, envolvendo a equipe do CAPS II, bem como estagiárias (os) e pacientes como protagonistas das atividades. Ocorreram 10 encontros, semanalmente, com propostas de diferentes eixos culturais a serem trabalhados com os usuários, como poesia, música, exposição a pinturas e obras clássicas, contação de história e visitas a espaços do município e de outros municípios da região. Considerações finais: Ante o exposto, pode-se afirmar que este foi um trabalho bastante prazeroso a ser executado pela estagiária, com vários desafios, bem como momentos de gratificação. Poder ofertar para os usuários do CAPS II espaços de promoção à cidadania, reflexão, autoconhecimento, conhecimento de locais diferentes, momentos prazerosos e de descontração, foi muito especial. Analisa-se ainda a repercussão deste trabalho na equipe técnica. Desde que foi iniciado o grupo, alguns profissionais acabavam indicando outros pacientes para o grupo cultural. Nem todos vinham, nem todos aderiram, mas aconteceu a indicação de pacientes, principalmente por profissionais da psicologia e do serviço social. Isto é o reconhecimento do trabalho que foi e está sendo desenvolvido, como algo terapêutico e que auxilia no processo de tratamento destes usuários. Dentre os usuários também pode-se observar o impacto do grupo. Alguns aguardam ansiosamente o início do grupo nas quartas. Outros questionam a equipe do administrativo no dia anterior à oficina, se “amanhã terá o grupo” (SIC). Nota-se durante o grupo, que aquele é um espaço confortável a eles, e que é um espaço onde eles podem trazer suas considerações, sem medo algum de julgamentos, preconceitos, entre outros. Ter um espaço de troca como este é terapêutico, e auxilia no processo de tratamento.

 




ISSN 2764-2135