AMBULATÓRIO MULTIPROFISSIONAL DE ATENÇÃO À SAÚDE DA POPULAÇÃO LGBTTQIA+: ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E O PÚBLICO ALCANÇADO

Lucas Vinicios Weiss, Analídia Rodolpho Petry, Guilherme Mocelin, Vera Elenei da Costa Somavilla, Marina Rosa Horn, Gabriela Rodrigues, Iagro Cesar de Almeida

Resumo


INTRODUÇÃO: As inquietações acerca do corpo e expressões de gênero que fogem de padrões heteronormativos conduzem a criação do Ambulatório Multiprofissional de Atenção à Saúde da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais, Travestis, Queers, Intersexuais, Assexuais + (LGBTTQIA+), (AMBITRANS). A realidade da população foco deste projeto constitui-se á sombra de políticas assistências igualitárias, o que dificulta os processos constitutivos de espaços sociais articulados com a diminuição de barreiras de acesso ao cenário e instituições sociais. É na ausência de espaços que proporcionem atenção à saúde que surge o ambulatório. A singularidade nos atendimentos prestados aos indivíduos LGBTTQIA+ e seus familiares é marcado por discussões que podem se  constituir como importante divisor nas compreensões que articulam biotecnologias e readequação corporal. OBJETIVO: Apresentar as atividades desenvolvidas e o público alcançado pelo AMBITRANS. METODOLOGIA: Relato de experiência proveniente da criação do projeto e de extensão intitulado AMBITRANS e suas ações, articulado com os cursos de enfermagem, medicina, psicologia, estética e cosmética, tendo suas atividades desenvolvidas no Serviço Integrado de Saúde (SIS) da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Excepcionalmente na pandemia, os atendimentos foram realizados de forma virtual, tanto a população alvo quanto á seus familiares. RESULTADOS: Foram desenvolvidas atividades individuais e grupais, com o público alvo e com os seus familiares de forma presencial e virtual em virtude das restrições sanitárias,  sendo elas descritas: atendimentos individuais; grupos de pacientes; grupos de familiares (mães) e reuniões de equipe. Além destas, ocorreram participações em eventos e seminários realizados em conjunto com os cursos de medicina – UNISC, Universidade Luterana do Brasil – Canoas e participação em mesa no 1º Seminário Internacional Virtual de Direito Médico e Promoção da Saúde da Ulbra Santa Maria. Palestras ministradas por professores do projeto na semana acadêmica de Psicologia e rodas de conversas na Semana de Iniciação Científica. Apresentação de trabalho do Salão de Extensão – UNISC. Outras atividades envolveram, reuniões com a Secretaria de Saúde, direção pedagógica de escolas estaduais e particulares e reuniões semanais com o grupo de estudos do departamento Sexualidade e Gênero do Instituto de Psicanálise Contemporâneo de Porto Alegre. Além disso, foi criado o Instagram AMBITRANS, que conta com 288 seguidores. Foi, também, realizado acompanhamento de internação  hospitalar psiquiátrica de membros desse projeto. Com isso, totalizou-se 1.124 pessoas beneficiadas direta e indiretamente, sendo elas atendidas e atingidas diante de todas as atividades explicitadas anteriormente. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Desse modo, a população beneficiada com a criação do Ambulatório acena para a visibilidade dessa população no espaço social, contribuindo nas lutas por direitos e espaços à população LGBTTQIA+. O público atingido também denota a carência de atendimentos e espaços capacitados para acolhimento multidisciplinar, reafirmando a necessidade de tais abordagens e a premente necessidade de capacitações permanentes aos profissionais de saúde de modo amplo. O propósito primordial da implementação do AMBITRANS visa promoção na saúde e na qualidade de vida da população que, com seus corpos e modos de ser e estar no mundo, coloca em xeque a sociedade ocidental heteronormativa.



ISSN 2764-2135