REABSORÇÃO RADICULAR INFLAMATÓRIA APICAL ASSOCIADA À LESÃO PERIAPICAL

Eduarda Favero, Lucas Vinicius Fischer, Bruna Feron, Lucas Vinicios Weiss, Ian Alves Cassali, Pedro Henrique Ferreira de Menezes, Evandro de Oliveira Júnior, Marília Scarton Forgiarini, Paulo Swarowsky

Resumo


Introdução: A infecção do canal radicular após necrose pulpar segue uma via natural na direção apical, sendo capaz de estimular inflamação das estruturas periapicais. A reabsorção radicular inflamatória apical promove o encurtamento da raiz dentária e pode ser induzida por esse processo de agressão que estimula a destruição dos tecidos periapicais e estrutura dentária. Dentre as causas da reabsorção inflamatória estão: trauma, movimentação ortodôntica, clareamento dental, inflamação periodontal e lesões periapicais. A camada celular protetora superficial externa ou interna pode ser danificada e reabsorções inflamatórias ou de substituição da raiz podem afetar qualquer parte da raiz do dente. Objetivos: Identificar possíveis reabsorções radiculares inflamatórias apicais associadas a lesões periapicais, por meio de análises de tomografias computadorizadas de feixe cônico de pacientes atendidos em um estabelecimento comercial odontológico especializado em Imaginologia Odontológica em Santa Cruz do Sul. Metodologia: Este estudo avaliou tomografias computadorizadas de feixe cônico de pacientes de uma clínica de Imaginologia Odontológica de Santa Cruz do Sul.  A análise foi realizada a partir da identificação de dentes que apresentavam lesão periapical visível. A partir desses, foi avaliado, discutido e consentido entre dois acadêmicos de Odontologia e um professor da área de imaginologia odontológica, o possível diagnóstico de reabsorções radiculares inflamatórias no terço apical em dentes pré-identificados com injúrias periapicais. Resultados: Neste estudo, foram analisados 107 dentes com lesões periapicais perceptíveis a tomografias computadorizadas de feixe cônico ao observar radiolucidez na área afetada. Dos dentes estudados 56 pertenciam à pessoas do sexo masculino, com idades entre 32 e 79 anos e 51 dentes eram referentes à pessoas do sexo feminino com idades entre 32 e 91 anos. Não houve diferença significativa em relação à complexidade e gravidade dos casos entre os sexos. Dessa maneira, foi indicado pela perda de estrutura radicular apical que 72 dentes apresentavam reabsorção radicular inflamatória apical, totalizando 67,28% dos elementos estudados. Conclusão: Podemos concluir a partir dos resultados encontrados que a maioria dos elementos com lesões periapicais apresentaram indícios de reabsorção radicular inflamatória apical, ao passo que foi observado a agressão e deterioração de tecidos periapicais e estruturas dentárias. Pôde-se observar também que não houve predileção por sexo e idade nas patologias analisadas.



ISSN 2764-2135