TÉCNICAS DE CRIAÇÃO DO HOSPEDEIRO EPHESTIA KUEHNIELLA (ZELLER) (LEPIDOPTERA: PYRALIDAE) PARA MULTIPLICAÇÃO DE PARASITOIDES

Bruno Araújo Delera, Daniela da Costa e Silva, Cleder Pezzini, Andreas Kohler

Resumo


Técnicas de criação do hospedeiro Ephestia kuehniella (Zeller) (Lepidoptera: Pyralidae) para multiplicação de parasitoidesA utilização de parasitoides em programas aplicados de controle biológico, exigem a sua multiplicação em larga escala para posterior liberação nos locais onde se pretende o controle da população da praga. Apesar de existir, em alguns casos, a criação de agentes biológicos com dietas artificiais in vitro, a produção massal de parasitoides sobre seu hospedeiro natural é a forma mais utilizada. A traça-da-farinha Ephestia kuehniella (Zeller) (Lepidoptera: Pyralidae) é amplamente utilizada como hospedeiro para criação de parasitoides. A criação do hospedeiro, por sua vez, é feita com dietas artificiais que propiciam seu melhor desenvolvimento. A qualidade do hospedeiro tem influência sobre parâmetros biológicos e comportamentais de seus parasitoides, tanto nas criações como na busca e parasitismo a campo. Assim, a avaliação da qualidade dos insetos produzidos deve ser uma constante. Este trabalho teve como objetivo potencializar a criação do hospedeiro E. kuehniella para suprir a demanda de parasitoides utilizados em programas de controle biológico. Para a criação de E. kuehniella uma dieta com farinha de trigo integral, enriquecida com levedo de cerveja (3%) foi distribuída no interior de potes plástico. Sobre a superfície da dieta foi espalhados cerca de 0,8 g de ovos de E. kuehniella (aproximadamente 28.800 ovos), em seguida, uma tampa ventilada foi colocada e lacrada com fita crepe. Ao observar a emergência dos primeiros insetos, com um sistema de sucção, iniciou-se a coleta dos adultos diariamente, durante 20 a 30 dias. Após a remoção dos insetos estes foram transferidos para gaiolas de postura, com uma bandeja na parte inferior para coleta dos ovos. Os adultos não receberam qualquer tipo de alimento e permaneceram na gaiola por cinco dias. A coleta dos ovos foi iniciada no dia seguinte à montagem da gaiola de postura, para sua limpeza foram utilizadas peneiras para a remoção de resíduos, tais como escamas e pernas dos insetos. Após, os ovos foram inseridos em novas dietas, iniciando novamente o ciclo de produção. A criação de E. kuehniella foi mantida em salas climatizadas com temperatura de 28 ± 2 °C, umidade relativa do ar de 50 ± 20 % e fotofase de 14 horas. A produtividade diária foi controlada através da pesagem dos ovos. Sendo uma parte utilizada para produzir ovos e larvas destinadas aos parasitoides e outra à criação e manutenção de E. kuehniella. Os ovos foram fonte para criação de Trichogramma pretiosum Riley (Hymenoptera: Trichogrammatidae), parasitoide usado para controlar várias lagartas de importância agrícola na cultura do milho, tomate e soja. A fase larval da traça foi hospedeira do parasitoide Habrobracon hebetor (Say, 1836) (Hymenoptera: Braconidae), importante agente de controle de traças que acometem vários produtos armazenados, como farinhas, grãos em geral, tabaco e produtos processados. Portanto, para estabelecer programas de controle biológico que requerem a criação em larga escala de parasitoides, o primeiro passo é adquirir conhecimento sobre a biologia básica das espécies, e como elas podem ser criadas de forma eficiente.



ISSN 2764-2135