O USO DAS TECNOLOGIAS POR PESSOAS IDOSAS EM TEMPOS DE COVID-19

Bárbara Susanne Etges, Cristiane Davina Redin Freitas, Silvia Virginia Coutinho Areosa

Resumo


Este resumo versa sobre um desmembramento da pesquisa intitulada “Uso das tecnologias de informação e comunicação por idosos em Santa Cruz do Sul”, concluída no ano de 2019. A pesquisa visou investigar a interação de 85 idosos com as tecnologias de informação e comunicação (TICs) em Santa Cruz do Sul. As TICs são um conjunto de recursos tecnológicos que proporcionam comunicação, inclusos os aparelhos conectados à internet, como: tablets, smartphones, smart tv, etc. Além disso, englobam ferramentas de comunicação, como: browsers, aplicativos, redes sociais, etc. No trabalho realizado, foram comparadas as informações da pesquisa, com notícias advindas de meios digitais no ano de 2020, sobre a utilização de tecnologias por idosos durante a disseminação do Coronavírus. As pessoas idosas, classificadas como população de alto risco de adoecimento pelo Covid-19, foram as primeiras a realizarem o distanciamento social e, consequentemente, tiveram que se adaptar ao uso das TICS com o intuito de manter as interações sociais pelo menos de forma remota. Assim, foram analisadas 10 notícias de diferentes veículos online, no período entre março e setembro de 2020, que mostraram uma grande e rápida utilização e adaptação das pessoas idosas às TICS durante a pandemia. Em contrapartida às notícias, foram apresentados os dados empíricos da pesquisa, realizada seis meses antes do estabelecimento das medidas de restrição para contenção do vírus, que demonstraram certa dificuldade das pessoas idosas em utilizar as tecnologias. O que foi analisado nessa comparação é que, nas notícias veiculadas no ano de 2020 verificou-se o aumento do uso das TICs por parte do público idoso, mas não há indícios sobre como se estabeleceu essa utilização. Esse aspecto, nos leva a refletir sobre a naturalização do uso das tecnologias para o público em geral, principalmente no contexto em que vivemos atualmente, sem levar em consideração as especificidades da população idosa. Por outro lado, na pesquisa empírica realizada com os 85 idosos na cidade de Santa Cruz do Sul, se obteve um resultado que contradiz o conteúdo noticiado. Os dados mostram que 74,1% dos entrevistados faz uso de alguma tecnologia, em sua maioria o telefone celular (69,4%) para fins de comunicação em forma de ligação telefônica e envio de mensagens. No entanto, este percentual cai com o uso do computador (21,2%). A quantidade de pessoas idosas que não utiliza nenhuma das duas ferramentas tecnológicas citadas é de aproximadamente 30,6%. Comparando o uso e o tempo de utilização diários, observa-se que a maioria absoluta das pessoas idosas entrevistadas - cerca de 80% - não utiliza computador, smartphone (para outros fins que não a comunicação) ou internet e, caso use alguma dessas ferramentas, é por um período inferior a uma hora. Os dados da pesquisa e das notícias selecionadas se contradizem, pois, a pesquisa revela um conhecimento das tecnologias por parte do público idoso, mas uma dificuldade em seu manejo, enquanto as notícias relatam uma utilização eficaz e bem adaptada. Concluiu-se, a partir da reflexão sobre as informações mencionadas, que o envelhecimento não é considerado como um momento da vida com características distintas da juventude e, portanto, ainda é visto de forma desvalorizada pela sociedade que não propicia às pessoas idosas um reconhecimento de suas necessidades específicas, principalmente em se tratando do uso das TICS.




ISSN 2764-2135