CONTRIBUIÇÃO DOS PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA COMO INSTRUMENTO PARA O FORTALECIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL E PRÁTICAS DE COLETA SELETIVA: UMA ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA

Franciele Stoffel Viña, Jorge André Ribas Moraes, Liane Mahlmann Kipper

Resumo


Do lixo ao resíduo há um grande caminho a ser percorrido. Lixo é qualquer material sem valor ou utilidade; já o resíduo se origina do substantivo masculino resto ou aquilo que resta. Os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), nos dias atuais, precisam ter uma gestão adequada, o que torna um desafio por ser um tema complexo, que envolve o cuidado com o meio ambiente e a saúde da população. O objetivo da pesquisa foi realizar um mapeamento científico sobre a evolução do conceito Ponto de Entrega Voluntária (PEV) e suas relações com a melhoria da reciclagem dos RSU. Procurou-se avaliar como a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) contribuiu para a disseminação das Cooperativas de Materiais Recicláveis e como a gestão municipal pode, a partir dos PEVs, utilizá-los para o fortalecimento da coleta seletiva no Brasil. Primeiramente, foram definidos os termos de pesquisa e a base de periódicos, depois foram identificados termos sinônimos de pesquisa. Após isso, foi realizada uma pesquisa e análise de artigos com cada termo encontrado e por último, analisado o estado da arte no software SciMAT. Com o passar dos anos, o número de artigos publicados e palavras-chave formam se elevando. Também foi possível perceber que os PEVs possuem ligações diretas com a reciclagem, pois os materiais recicláveis precisam ser deixados nestes locais de coleta para poderem seguir um fluxo de Economia circular que façam com que os mesmos sejam novamente reaproveitados nos meios produtivos. Como sugestão para que os PEVs sejam instrumentos de gestão dos municípios, selecionou-se 16 indicadores; estes servirão de instrumento para que a gestão municipal possa a partir das informações geradas, pensar em estruturar novos PEVs em diversos bairros nos municípios, utilizando-se da PNRS para vislumbrar acessos a recursos da União e tratar de forma mais profissionalizada à limpeza urbana e o manejo dos resíduos sólidos urbanos. Essa ação contribuirá para uma melhor qualidade de vida dos catadores e elevará a educação ambiental de toda a população do município. Outros benefícios ambientais também serão percebidos, à medida que mais PEVs forem sendo estruturados dentro do município, como: a segregação de um maior volume de materiais recicláveis e notar-se-á uma cidade mais limpa e organizada e consequentemente uma maior qualidade no ar. A gestão municipal tenderá a apresentar um sistema integrado de gerenciamento dos seus resíduos sólidos municipais, com a participação da coleta seletiva e dos catadores de materiais recicláveis inseridos neste trabalho de segregação e venda dos materiais. O reflexo desta ação poderá ser a redução da taxa de limpeza do município, pois com menos resíduos dispostos de forma incorreta, ter-se-á menos resíduos sendo encaminhados a aterros, o que se traduzirá em menores desembolsos pela população para o pagamento de impostos (limpeza urbana).



ISSN 2764-2135