A ADAPTAÇÃO DOS IDOSOS ÀS FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO DIGITAL

Kevin Matheus Backes, Tainã Ellwanger Tavares, Maria Helena Holler, Thiago Pereira de Oliveira, Felipe Funk, Marcia Kniphoff da Cruz, Wolmar Alipio Severo Filho, Adriano José Bombardieri, Leonel Pablo Carvalho Tedesco, Antonio Manoel de Borba Junior

Resumo


Devido às medidas de prevenção adotadas contra o COVID-19 no decorrer da pandemia que teve início em 2020, o isolamento social fez com que a população tivesse de recorrer a formas alternativas para os contatos interpessoais ou realização de trabalhos na modalidade Home Office. Por meio das tecnologias de informação e comunicação essas atividades são possíveis, no entanto é necessária a adaptação do indivíduo às interfaces e inúmeras ferramentas disponíveis na internet. Diante deste problema, o Projeto UNISC Inclusão Digital (Projeto UID), em parceria com a Universidade do Adulto Maior (UNIAMA), ambos vinculados à Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), tem como objetivo proporcionar aos idosos inscritos de idade igual ou superior a 60 anos na inserção e adaptação aos recursos tecnológicos disponíveis tanto nos computadores quanto celulares. Com encontros online e semanais realizados no primeiro semestre de 2021, na plataforma de reuniões do Google Meet, os temas abordados pela oficina de Ferramentas de Comunicação Digital ao longo de 12 encontros foram Google Meet, Google Fotos, Gmail, Print da Tela, Whatsapp, Instagram, Facebook e Arquivos do Celular. Ao decorrer dos encontros, foram relatadas pelos idosos as dificuldades que tinham em acompanhar e realizar as atividades simultaneamente pelo tamanho da imagem no celular e a complexidade das informações. Para solucionar esse problema, gravações das oficinas foram disponibilizadas no Google Drive, ao qual todos os inscritos possuem acesso. Após os 12 encontros, foi organizada uma turma presencial, nos laboratórios de informática da UNISC, cumprindo as normas de segurança. Durante os encontros presenciais, visando incluir aqueles que não podem se juntar aos demais por conta do limite em cada ambiente, uma reunião pelo Google Meet é aberta simultaneamente. Como muitos dos inscritos não possuem contatos frequentes com as ferramentas tratadas pela oficina, os primeiros contatos os deixam acanhados em explorar os recursos disponíveis livremente, esperando sempre instruções, enquanto outros, já familiarizados utilizam sem dificuldades os equipamentos. Diante dessas diferenças de experiência com o uso dos equipamentos (computador e celular), ergue-se o desafio de conciliar atividades e instruções simples e introdutórias aos que não dominam o uso das tecnologias tratadas em aula, com atividades sobre ferramentas que sejam desconhecidas àqueles que já as utilizam e conhecem seus recursos. De acordo com as primeiras experiências desta nova etapa da oficina, nota-se a necessidade de atividades introdutórias sobre os assuntos menos comuns aos participantes, juntamente com o aprimoramento da forma como a oficina é trabalhada, visando incluir os inscritos na atividade virtual nos exercícios propostos e melhorar a interação entre os participantes das duas modalidades.



ISSN 2764-2135