ENTRE OUVIR E ESCUTAR: PERCEPÇÕES DE UMA AUDIÇÃO

Rafaela Wenzel

Resumo


Proponho neste estudo uma reflexão em torno da relação do ouvir e do escutar como dois movimentos de potência do sentido audição para a constituição linguageira humana. Venho observando e pesquisando há alguns anos as sonoridades que habitam os territórios dos devires humanos em movimento no mundo, com o foco no desvendar possíveis mistérios que o universo auditivo propõem à constituição em linguagem e da própria percepção do mundo ao redor. Parto da observação fenomenológica de uma percepção específica relacionada a observações que já havia iniciado anteriormente, ao longo do curso do Mestrado em Educação (UNISC). Para debruçar nesta pesquisa da escuta, que tem permitido observações distintas quanto ao ouvir e ao escutar, acompanham-me no processo de estudos bibliográficos Roland Barthes, Maurice Merleau-Ponty, Mirna Spritzer, Maximiliano Valério López, Giuliano Obici, entre outros. Ouvindo e escutando espaços sonoros (co)habitados pelas tecnologias contemporâneas e pelos devires humanos em movimento no mundo, pude perceber aspectos físicos relacionados as duas maneiras distintas de movimento perceptivo no corpo, como o movimento do ouvir que é um encontro do mundo ao corpo e o da escuta como uma detenção de sentido.

Texto completo: Resumo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.