BIOPOLÍTICA, POLÍTICAS EDUCACIONAIS E EUGENIA NOS TEMPOS DO MINISTRO GUSTAVO CAPANEMA

Rafaela Rech

Resumo


Este resumo para apresentação de pôster tem o objetivo de expor a pesquisa em andamento para a dissertação de Mestrado em Educação da UNISC. Tal trabalho é orientado pelo professor Mozart Linhares da Silva. Os anos 1930, são tomados como referências para esta pesquisa que tem como temática as políticas educacionais do Ministério Capanema (1934-1945). Ao problematizar a educação, este é um período de ampla discussão sobre o papel da mesma na constituição de um projeto político nacionalista em que se coloca em jogo a construção de uma nova narrativa identitária nacional e a constituição de uma população, onde se busca analisar a entrada da educação nas estratégias de governamento biopolítico instituídos pelo Estado. A emergência de estratégias de governamento biopolíticas, neste processo, nos permite entender como o Estado tomou a si a missão redentora da nação a partir do chamado projeto de branqueamento da população. Intelectuais compreendiam que a nação urgia ser reconstruída e, neste processo, a educação e a saúde foram eleitas como prioritárias. O ministro Gustavo Capanema foi quem ficou responsável pela elaboração de uma série de reformas educacionais e pela conquista da brancura tão sonhada por intelectuais. Como ferramentas metodológicas são lançados os estudos foucaltianos, principalmente a biopolítica que teve seu desbloqueio no século XIX e é entendida como uma racionalidade política que tem a vida da população como alvo de ação e intervenção do Estado e que permite pensar as formas de vida da modernidade e da contemporaneidade.


Texto completo: Resumo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.