POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCLUSÃO E A CONSTRUÇÃO DA CIDANIA CONTEMPORÂNEA: CONSIDERAÇÕES ENTRE A BÍOS E A VIDA NUA AGAMBENIANA

Carina Kirst

Resumo


O presente estudo objetiva analisar a emergência das políticas públicas de inclusão como potencializadoras do conceito de cidadania, principalmente quando tratam de condicionar determinados grupos, que tendemos a chamar de minorias, da posição da vida nua para a bíos, a vida política. As análises constituem-se a partir das teorizações do filósofo Giorgio Agabem, especialmente, em torno dos conceitos de vida nua e biopolítica. Para o autor, os termos cidadania e biopolítica já podem ser assimiliados na Grécia antiga, pois a cidadania grega era a inclusão do indivíduo na pólis (cidade), que respectivamente é a inclusão da zoé (vida nua) na bíos, ou seja, quando a vida é colocada sobre o julgo da política. Na contemporaneidade, as políticas públicas entendidas como estratégias para ampliar o acesso a direitos universais como educação, saúde e moradia, permitem tensionar o imperativo da inclusão como um potencializador da ideia de cidadania, em que grupos colocados à margem do poder do Estado são capturados, regulados e constituem novos ordenamentos sociais que, de alguma forma, são modos de in/exclusão e de uma linha tênue entre zoé e bíos.


Texto completo: Resumo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.